Conselho Curador do Museu publica nota de saudade pelo falecimento de Caio Faria Lobato

caio1

Foto: Acervo da família

Em reunião realizada na última segunda-feira (12), o Conselho Curador do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas e a diretoria do Museu decidiram pela elaboração de uma “Nota de Saudade” pelo falecimento de Caio Augusto de Faria Lobato. Um dos fundadores do Museu, Caio faleceu no último dia 8 de março, aos 85 anos, em decorrência de uma insuficiência cardiorrespiratória.

Ele foi um dos fundadores do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas, juntamente com Nini Mourão e Nilza Botelho Megale, em 1972. A fundação fez parte das comemorações do centenário da cidade. Por 24 anos, o museu funcionou no Country Club, onde foi instalado visando à preservação da memória histórica da cidade e, ao mesmo tempo, integrando aspectos turísticos, educacionais e culturais. Em 1995, o museu foi transferido para então Villa Junqueira, onde funciona até hoje.

Segue, na íntegra, a nota divulgada conjuntamente pelo Conselho Curador e diretoria do Museu.

NOTA DE SAUDADE

O Conselho Curador e a diretoria do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas, por essa nota, vêm demonstrar os seus sentimentos pelo passamento de Caio Augusto de Faria Lobato, que na sua caminhada entre nós, foi o cidadão que amou a sua terra natal em todos os sentidos; foi um dos artífices na criação do Museu Histórico e Geográfico; foi o intelectual que no decorrer do tempo proporcionou, com os seus pares e a população em geral, a formação do acervo existente no Museu o qual conta – através de objetos e imagens – a história de Poços de Caldas.

Rendemos todo nosso agradecimento ao idealizador, fundador, diretor e intelectual Caio Lobato pelo legado que deixou para todos os moradores de Poços de Caldas e cidades da região.

Poços de Caldas, 12 de março de 2018

Conselho Curador do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas.

Diretoria do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas.

No comments yet.

Leave a Reply