Museu recria cena da época dos cassinos em Poços

 

Mesa com cartaz e fichas foi montada no segundo pavimento do espaço

Mesa com cartaz e fichas foi montada no segundo pavimento do espaço

O Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas incorporou ao acervo permanente de exposições uma cena de jogo de pôquer, que remonta à época em que os jogos de azar eram liberados no Brasil. Na sala dos cassino, no segundo piso, estão centenas de fichas, algumas utilizadas em apostas em importantes casas, como o Cassino da Urca.

As fichas que pertenciam ao Cassino da Urca, e estão no museu, trazem impresso em relevo no verso sua procedência. Na face frontal estão os valores de troca de cada uma.

O coordenador do Museu, Yuri de Almeida, diz que as fichas são raridades e contam muito sobre um período glamouroso da história de Poços. “Temos que tentar representar como eram as funcionalidades no passado”, diz ele, sobre a representação.

Os cassinos foram proibidos no Brasil em 1946, no governo do presidente, Eurico Gaspar Dutra. Especulações dão conta que a decisão teria sido influenciada por “Dona Santinha”, religiosa fervorosa e esposa de Dutra. À época, chegaram a existir no país cerca de 70 cassinos, que empregavam mais de 50 mil trabalhadores. Em Poços, a atividade era intensa e os cassinos tinham grande importância para a economia. No período, fichas de apostas das casas de jogos, praticamente, eram moeda de troca no comércio local.

Porém, a proibição do jogo abalou a estrutura econômica do município, que teve de se reinventar, buscando saída em outros setores como a mineração. Como a maioria dos cassinos era particular, muito se perdeu de memória daquela época. Mobiliários e objetos da jogatina foram desmontados, se espalhando por coleções particulares.

O Museu abre de terça a sexta, das 8h às 18h. Sábados das 12h às 18h e domingo das 8h às 14h. A entrada é gratuita. O telefone de contado é (35) 3697-2197.

No comments yet.

Leave a Reply