Centro POP estende atendimento aos finais de semana

Uma das atividades no Centro POP são debates sobre a situação de rua, precedidos por vídeos que abordam o assunto.

Uma das atividades no Centro POP são debates sobre a situação de rua, precedidos por vídeos que abordam o assunto.

O Centro POP Direito e Cidadania, especializado no atendimento à população em situação de rua, estendeu seu serviços para os finais de semana, funcionando de 7h às 16h, aos sábados e domingos. De segunda a sexta, o centro funciona de 7h às 18h. A média de atendimento é de 40 pessoas. “É uma forma de garantirmos os direitos básicos, como alimentação e higiene, também aos finais de semana”, informa Giuliano D’Onofrio da Conceição, coordenador da Divisão de Atendimento ao Cidadão.

Durante a semana, as pessoas podem chegar às 7h, quando tomam café da manhã, banho e podem lavar suas roupas. Têm à disposição oficinas de artes, música e atividades na horta. Aqueles que não participam das oficinas, ajudam na manutenção da casa. No almoço, eles recebem o ticket do Restaurante Popular, e depois, podem retornar ao Centro POP para as oficinas da tarde e lanche. Á noite, são encaminhados para as Casas de Passagem conveniadas com a Prefeitura. Aos finais de semana, a média de atendimento é de 20 pessoas, que têm todos os serviços ofertados, exceto as oficinas. O objetivo dos trabalhos é a ressocialização dos atendidos.

O Centro providencia ainda, documentação e também o encaminhamento para o Caps AD, para os usuários de álcool e outras drogas. Eles têm ainda o acompanhamento de psicóloga e assistente social e atendimento especializado ao migrante.

O local garante os direitos básicos das pessoas em situação de rua e representa dignidade para esse público, que tem a oportunidade de reconstruir suas trajetórias de vida. O Centro POP está em consonância com a política nacional de assistência social, pautada pela garantia de direitos.

A Divisão de Atendimento ao Cidadão, órgão da Secretaria Municipal de Promoção Social, também tem sob sua coordenação os serviços de Abordagem Social, que atende pelo telefone 156 e o Serviço de Migrantes, na Rodoviária, que faz atendimento social àquelas pessoas que chegam a Poços como destino intermediário e recebem passagem para seguir viagem. Segundo informações da coordenação, só no Carnaval, foram atendidas 74 pessoas, que foram embarcadas para o próximo destino.

Esmola
A Secretaria de Promoção Social está desenvolvendo a campanha “Ajude, não dê esmola” , na qual a população é orientada a encaminhar as pessoas em situação de rua para as instituições conveniadas com a Prefeitura, que estão preparadas para oferecer atendimento especializado.

A rede de atendimento da Secretaria de Promoção Social conta com as seguintes instituições para atendimento de pessoas em situação de rua: Abrigo Madre Tereza, localizado na rua Cel Virgilio Silva; Casa de Passagem São Francisco, localizada à rua Araguaia e a Casa de Passagem Irmâ Dulce, localizada à rua Presidente Roosevelt.

As pessoas são encaminhadas para estes locais por meio do Serviço de Abordagem Social, que atende pelo 156 ou pelo Centro POP. Os moradores que quiserem fazer doação de roupa ou algum material, como alimentos, podem entrar em contato com o Centro POP, no telefone, 3697-2645, que poderá encaminhar as doações para as instituições.

“Uma das nossas maiores dificuldade para retirar as pessoas da situação de rua é por conta das esmolas que recebem. Isso cria facilidades e fica mais difícil convencê-los a seguir para alguma instituição. Então, a nossa solicitação para a comunidade é que não ofereça dinheiro ou algum outro bem para estas pessoas, pois assim, elas nos procuram e têm o atendimento especializado, voltado para a ressocialização”, conclui Guiuliano.

Esta semana, os atendidos pelo Centro POP participaram de uma visita às Thermas e ao Museu, como forma de ressocialização

Esta semana, os atendidos pelo Centro POP participaram de uma visita às Thermas e ao Museu, como forma de ressocialização

No comments yet.

Leave a Reply